Sobre Mulheres e Polvos

Posts

Março traz um dia todo dedicado à mulher. E eu não deixo passar em branco a data. E hoje trago uma crônica publicada em meu segundo livro "Teus olhos de Capitu", que fala desse nosso universo tão intenso e único, cheio de superlativos, dramas e hormônios. Revisei o texto, percebi o tom melancólico do escrito - hoje mais amenizado - revisei, cortei e acrescentei; mas a essência e o tom permanecem porque são, em última análise, a raiz do sentimento que me levou à escrevê-lo: sobre mulheres e polvos. Hoje foi um dia cansativo. Ao chegar em casa, senti pena de mim. Minha vida, como a de tantas, é extremamente assoberbada, cheia de responsabilidades que me pesam nos ombros, peso que já acostumei-me a carregar, parece que faz parte de mim. Mas hoje lembrei-me que esta carga não veio de fábrica, a vida depositou. Eu a carrego porque tem que ser assim. Antes de sair, orientações sem fim para casa funcionar na minha ausência. Pilhas de processos me aguardam na mesa, caixa de e-mail cheia, respostas que demandam tempo. Entre uma coisa e outra, ligação para escola avisando que o filho esqueceu a agenda, mensagem para avó avisando do anti-alérgico. Coração partido, desabafo com uma colega, sem muitas delongas porque hoje o dia não vai esperar por minhas lágrimas. O telefone apita de minuto em minuto. E mais processos. Lembrei que preciso responder a um questionário enviado por uma editora. Requerimento de férias tem que ser feito até amanhã, informou minha chefa. E o celular apita. Almoço, já? Ligo pra casa. Meninos chegaram? Comeram? Turno da tarde. Não vou poder almoçar em casa. Falta dinheiro para comprar vitamina C e o livro de inglês da caçula. Sem dinheiro na carteira, tenho que passar no caixa eletrônico, e depois voltar para os processos. Lembro do coração partido e enquanto o frentista enche o tanque, aproveito para chorar meia dúzia de tristezas. Finalizo tudo, saio do trabalho, preciso passar na costureira, comprar presente da sobrinha, pegar minha bolsa de academia. Malhou? Sim. Pegar as crianças. Retorno pra casa e meu filho ainda pede para dormir comigo. Como dizer não? Hoje eu disse. Não para ele. Sim para mim. É difícil levar uma vida tão cheia de demandas, avolumadas por um pai que partiu e três crianças que ficaram. Sinto como se a vida exigisse mais do que posso dar, e olha que me esforço! Administrar tantas frentes e ainda manter o equilíbrio é missão quase impossível. São adjetivos e substantivos que não acabam: é bonita? é independente? trabalha? cuida da casa? tem tempo pra família? bem cuidada? boa mãe? amante fogosa? boa filha? ... E por aí vai. Em algum ponto vai desandar. É surreal exigir da mesma pessoa, papéis múltiplos e de igual importância. É como ser, dentro de uma empresa, serviços gerais, vendedor, caixa, pacote, assistente, gerente e presidente. E depois não entendem porque uma vez por mês engolimos duas caixas de bis e choramos compulsiva e inexplicavelmente. Quem vive assim dispensa explicações para atos insanos. Não escrevo nada de novo, esta saga não é apenas minha e já foi cantada em verso e prosa inúmeras vezes. Essa é apenas a minha versão, o meu relato de uma vida que, para além de ser minha, é partilhada por tantas. Hoje só dormiria depois de ver essas palavras no papel. Nós, mulheres, definitivamente viemos de um outro planeta. Nós e os polvos.

4 comentários em “Sobre Mulheres e Polvos”

  1. Roberta Freitas - 10 de Março de 2016 22:19

    Fico muito feliz por você ter voltado , t admiro muito,em vários aspectos ,
    Uma mulher q inspira , leio sempre q posso seu blog e simplesmente fico
    Encantada da forma que você escreve , emociona e nos faz
    Sentir como se estivéssemos conversando frente à frente , sou fã de
    Seu trabalho e de sua trajetória.Q Nossa Senhora t ilumine e acampe seus Santos Anjos
    Todos os dias de sua vida .

    Responder
    1. salvia - 11 de Março de 2016 08:41

      É vdd, Roberta, escrevo como se estivesse conversando… E adoro conversar com meus leitores! Obgd, querida!

      Responder
  2. Bianca Barreto - 9 de Março de 2016 22:19

    Perfeitas suas colocações!! Sou sua fã!! Ainda bem que você voltou com seus posts!! Já estava com saudades!! l

    Responder
    1. salvia - 11 de Março de 2016 08:39

      Saber q haviam leitores fiéis e ansiosos por meu retorno me deixa muito feliz! Bjs

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *