Nós, Mulheres Modernas

Posts

multitarefa2 Hoje tive um dia tão cansativo que ao chegar em casa senti pena de mim mesma. A vida das mulheres ditas modernas é sempre sobrecarregada, então vivemos como se esse peso já fizesse parte da gente. Mas hoje me lembrei de que ele não faz. Eu e todas nós o carregamos porque tem que ser assim. Porque a nós foi delegado um cargo de mil funções como se fosse possível exercê-lo sem enlouquecer. Antes de sair, mil orientações para casa funcionar na nossa ausência. Trabalho, a caixa de e-mail cheia e a gerente do banco ao telefone. Sem falar no apito do celular que mais parece um passarinho nos cutucando o dia todo. Entre um trabalho e outro, ligação para escola avisando que o filho esqueceu a agenda. E outra ligação para a avó não esquecer o anti-alérgico do menor que precisou ficar aos seus cuidados porque a nossa funcionária do lar não foi ao trabalho. No meio disso tudo, nos vem a lembrança do coração partido e sai um desabafo com uma amiga ao lado, mas tudo muito rápido porque o dia não vai esperar por nossas lamúrias. O celular apita. A editora enviou um questionário. Lembrei do meu requerimento de férias que deve ser feito até hoje, informou meu chefe. Mais tarde, leva e trás das crianças. O celular apita. Opa! Sem dinheiro. Parada no banco, costureira, comprar um presente. O celular apita. Academia. A hora de abastecer o carro também pode ser a que nos resta para deixar a lágrima cair. É difícil equilibrar-se entre tantas demandas, no meu caso, avolumadas por um marido que partiu e três crianças que ficaram. Vivendo assim é fácil ser constantemente invadida pela sensação de impotência, a vida por certo que exige de nós muito mais do que podemos dar. Lidar com tantas frentes e ainda ter que manter o equilíbrio é missão quase impossível. O celular apita. As exigências são muitas e a cobrança é desumana: temos que ser mulheres inteligentes, independentes, bonitas, além de mães zelosas, exímias donas de casa , boas de cama, filha atenciosa, amiga presente, e por aí vai. Quem foi mesmo que nos colocou aqui? O celular apita. Não escrevo aqui nada de novo, a saga das mulheres modernas já foi e continua sendo cantada em verso e prosa. Essa não é apenas a minha vida, é a de todas nós, que caminhamos acreditando que com um pouquinho mais de esforço conseguiremos ser perfeitas. Ledo engano. E antes que o celular apite outra vez, tomemos consciência - de uma vez por todas - que o mundo exterior não pode ter ingerência sobre nosso mundo interior, que quem dita as regras é a nossa própria voz e que a única pessoa que pode dizer o que é bom pra nós, somos nós mesmas.

5 comentários em “Nós, Mulheres Modernas”

  1. sigrid edwards - 5 de Maio de 2015 13:31

    É isso, somos nós que escolhemos, somos nós que nos responsabilizamos, somos nós que sabemos de nós mesmas!

    Responder
  2. Denize Lucena - 6 de Abril de 2015 23:50

    sempre que visito e leio o que vc escreve me vejo concordando e tendo a impressão de que a conheço de alguma forma, talvez por me parecer com vc, não na aparência física mas na intelectual… ou apenas por que admiro seu trabalho.. braço!

    Responder
    1. salvia - 7 de Abril de 2015 10:45

      Olá, Denize! É assim tb que me sinto quando me identifico com certos autores. É muito bom esta aproximação que a leitura proporciona! Muito obrigada! Beijos

      Responder
  3. Eliane Soares - 5 de Março de 2015 19:05

    Simplesmente ótimo texto. . . . e o celular apita! Adorei mesmo.

    Responder
    1. salvia - 17 de Março de 2015 15:00

      E esse celular nos deixa em paz, Eliane? Beijos

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *