• A Ilha de Todos NósA Ilha de Todos Nós
    Um dia, conversava com um amigo recém-separado e, portanto, vivendo um turbilhão de emoções, e ele, em outras palavras, confessou não saber mais quem ele era. Compreendi o que quis dizer aquela frase tão significativa. A gente quando casa geralmente implementa ajustes para que a vida a dois funcione. E nesse movimento, as vezes acontece de alguém ir abrindo mão [continue lendo...]
  • O vento lá foraO vento lá fora
    Recentemente soube de uma produção que uniu dois grandes nomes do país – Maria Bethânia e Cleonice Berardinelli –, a primeira um ícone da música brasileira, a segunda, imortal da Academia Brasileira de Letras. As artistas realizaram a leitura entusiasmada das obras do poeta Fernando Pessoa. “O vento lá fora” constitui-se pela costura dos poemas com conversas sobre a obra [continue lendo...]
  • Nós e a soberba: um caso de amorNós e a soberba: um caso de amor
    O tema de hoje é recorrente, eu sei, todos os noticiários falam dos últimos acontecimentos gerados pela intolerância, mas não há como escapar, as barbáries de além-mar impõe o assunto em casa, no trabalho, nas redes sociais. O que mais me chama atenção nisso tudo é a soberba humana, mãe da intolerância. Alguém sempre acha que seu ponto de vista [continue lendo...]
  • O Oncologista
    Já postei essa crônica de Mel e Fel por aqui. Mas hoje decidi postar novamente porque sei quantas pessoas identificam-se com essas palavras... Aí vai: Na primeira vez em que fui ao consultório do oncologista que acompanhava meu marido, fiquei um tempo na sala de espera. Estava apenas com minha mãe, pretendia ter uma conversa mais aberta e franca sobre [continue lendo...]
  • Dia da Poesia
    Buscando por temas interessantes, qual não foi minha surpresa ao descobrir que em março, 14, comemora-se o Dia Nacional da Poesia. A data foi escolhida por ser o dia do nascimento de Castro Alves, um dos maiores poetas brasileiros. Certa vez, li uma pequena biografia sobre o jovem escritor e fiquei impressionada com sua morte prematura aos 24 anos. Seu [continue lendo...]
  • A casca de noz de HamletA casca de noz de Hamlet
    Essa semana assisti uma palestra de Leandro Karnal, historiador e professor da Unicamp, doutor pela Universidade de São Paulo com publicações sobre História, História da América e História das religiões. Foi-lhe perguntado a respeito da super exposição da vida das pessoas nas redes sociais. Uma pergunta simples, que aparentemente pede uma simples resposta. Mas quando se tem bagagem intelectual, qualquer [continue lendo...]
  • Saudade
    Tem dias que a gente sente tanta saudade que parece que vai explodir. Saudade que pode ser de tanta coisa: de um amor vivido, ou de um não vivido - sim, porque sentimos saudade também do que poderia ter sido -, saudade de um momento marcante, do sentimento que nos invade depois de uma grande conquista, de um olhar diferente [continue lendo...]
  • Cuidado em ComprimidosCuidado em Comprimidos
    O ser humano nasce frágil e dependente. E suspeito que, embora não pareça, permanece assim até o final. E esta fragilidade humana reclama cuidado. Na infância, os pais por excelência são os provedores dessa necessidade de ser cuidado. Outros podem vir a substituí-los sem problemas, mais importante que o 'quem' é o 'se' esta necessidade é atendida. A infância passa, mas não passa [continue lendo...]
  • A Flórida de cada umA Flórida de cada um
    Ontem li sobre uma mulher, que aos 64 anos, nadou por 53 horas de Cuba até a Flórida. Ela foi recordista mundial. Sua história deixou-me impressionada e comentando sobre o assunto, alguém perguntou: - E por que ela fez isso? Boa pergunta! Aquilo ficou ressoando na minha mente. Ela por certo tem seus motivos particulares para ter realizado o admirável [continue lendo...]
  • Fera FeridaFera Ferida
    Existem tantas músicas que falam de amor perdido de forma tão profunda e conseguem transmitir a aguda angústia peculiar ao fim de uma relação. Incrível como elas falam a mesma língua embora tenham sido escritas por pessoas diferentes, em épocas distintas, a respeito de relações diversas. Não importa. Elas são irmãs gêmeas, porque o traço comum não muda: o coração partido. Ouvi uma dessas [continue lendo...]